Seleção Brasileira à procura do que perdeu: sua identidade

Seleção Brasileira à procura do que perdeu: sua identidade
 

Qual a característica central do futebol brasileiro e consequentemente da nossa Seleção? Simples de responder: equilíbrio entre futebol-arte e conquista de vitórias.A meu ver,essa identidade foi perdida a partir da última conquista do tricampeonato no México, com o desmantelamento por razões diversas,daquela Seleção:Félix,Carlos Alberto, Brito, Piazza, Everaldo; Clodoaldo, Gérson, Rivelino; Jairzinho, Tostão , Pelé. A tentativa de resgate dessa identidade foi realizada duas vezes pelo mestre Telê Santana nas Copas de 1982 e 1986.Contudo , dizem os especialistas que a Copa de 1990 é o divisor entre o futebol antigo,o chamado futebol-arte e o futebol moderno,aquele que se preocupa mais com o resultado,e para isso privilegia a retranca , a marcação  e a força.Entendo que o futebol-arte da nossa Seleção já não mais existia na Copa de 1974.

 

Em 74,tínhamos apenas ,além do técnico Zagalo, apenas dois craques remanescentes da Copa de 1970,Jairzinho e Rivelino.Nossa Seleção terminou em quarto lugar,atrás da modesta Seleção polonesa.Com o advento do carrossel holandês nessa mesma Copa,deixamos  também de ser referência mundial do mais belo e melhor futebol do  Mundo. Em 1982, Telê Santana assume o comando de nossa Seleção,com o propósito de resgatar o futebol-arte perdido na Copa de 1970 e voltar  após 12 anos a conquistar um título mundial.A Seleção de Telê,considerada por muitos como a melhor Seleção da história das copas,conseguiu pôr em prática o futebol-arte,mas não trouxe a conquista da Copa  e o sonhado tetracampeonato mundial. Assim, o futebol-arte de Telê terminou a Copa em quinto lugar.

 

Em 1986,Telê retorna ao comando da Seleção com a certeza de conquistar no México  o que não conseguira em 1982 na Espanha. Tinha a seu favor, a mística de jogar no mesmo local da conquista da última Copa,o México.Telê trouxe de volta a base da Seleção de 1982,na Espanha,porém enfrentou muitos problemas de contusão com principais jogadores tais como Zico e Falcão.Além de Sócrates e Júnior que apresentaram problemas de deficiência física,afora outros problemas de indisciplina.Apesar disso , a Seleção foi bem na primeira fase,vencendo todos os três confrontos contra Espanha,Argélia e Irlanda do Norte e assim,colocando esperança no sentimento da torcida brasileira. Embora nas quartas de final contra a França tenha feito um jogo muito superior aos franceses,a Seleção de Telê mais uma vez sucumbia aos caprichos da sorte,sendo eliminada da Copa, pela França,nos pênaltis.Mais uma vez o futebol-arte de Telê sucumbe,trazendo amargamente na bagagem um cruel e injusto quinto lugar.

 

Após os fracassos das duas participações de Telê Santana no comando de nossa Seleção, e cansada de ver a Canarinho jogar bonito com Telê  e não conquistar títulos,em 1990 a CBF entrega o comando da Seleção a Sebastião Lazaroni que pôs em prática o oposto do estilo Telê: esquema retranqueiro,priorizando a marcação,a força e tendo como meta apenas o resultado final.Lazaroni tinha excelentes peças a seu dispor,como Careca,Romário,Miller,Bebeto,Renato Gaúcho,dentre outros,mas sua Seleção não deslanchou.O esquema de Lazaroni,também fracassou  com a chamada "era Dunga" e  nossa Seleção terminou  o mundial da Itália na nona colocação.

 

Finalmente,na Copa de 1994,nos Estados Unidos,com Carlos Alberto Parreira e Zagalo no comando,após 24 anos de jejum ,nossa Seleção conquista o tetracampeonato. O selecionado de Zagalo e Parreira não conseguiu o equilíbrio entre o futebol-arte a as vitórias,mas realizou o que o estilo Telê e o estilo Lazaroni não conseguiram: a conquista do título mundial.A Seleção de 1994  não era um primor de equipe.Era uma Seleção extremamente burocrática e muito preocupada com a marcação. A Seleção campeã que disputou a final da Copa foi esta: Taffarel, Jorginho, Aldair, Márcio Santos, Branco, Mazinho, Mauro Silva, Dunga, Zinho, Bebeto e Romário.

 

Em 2002,numa Copa disputada em dois países na Ásia, sob o comando de Luiz Filipe Scolari, nossa Seleção conquista o quinto título mundial. O time comandado por Filipão, em termos de qualidade e esquema tático, não divergia muito da Seleção de Parreira e claramente,não tinha preocupação em resgatar o futebol-arte,mas com a conquista do título. Foi uma conquista de Copa relativamente fácil já que França, Argentina, Itália e Portugal não se houveram bem e foram as decepções da competição. Na final,Brasil 2 x 0 Alemanha.O Brasil conquistou o penta com   Marcos; Lúcio, Roque Júnior e Edmílson; Roberto Carlos, Gilberto Silva, Kléberson, Cafu (Capitão) e Ronaldinho Gaúcho; Rivaldo e Ronaldo.

Com o fracasso na Copa de 2006,realizada na Alemanha e vencida pela Itália,com a Seleção terminando na quinta colocação, a CBF convoca Dunga,ex-jogador campeão e capitão da conquista do tetra em 1994,para substituir Parreira e assim moralizar e impor limites ao ambiente da Seleção.Todos estranharam a escolha da CBF pelo fato de Dunga nunca ter treinado nenhuma equipe de futebol.

 

Com Dunga no comando,parece que a CBF estava mais preocupada em impor disciplina à Seleção que trabalhar pelo retorno do equilíbrio entre futebol-arte e conquistas."Que treinamento é fundamental! Mais uma vez, fica comprovado que só talento não basta para vencer. É preciso muito trabalho e treinamento!" afirmou Dunga em uma de suas entrevistas.

Dunga assumiu o comando da Seleção em julho de 2006. Sob seu comando,o futebol produzido em campo pelos atletas ,era uma imagem de Dunga como jogador.Apesar disso, Dunga conquistou a Copa América, a Copa das Confederações e obteve o primeiro lugar nas Eliminatórias.

 

Dunga sofria críticas "azedas' da imprensa por causa do esquema de jogo que impunha à Seleção e por não ter convocado as chamadas novas revelações,tais como Neymar,Ganso,Elano,dentre outros.Era criticado por ter levado Kaká sem as condições físicas adequadas  para a disputa da  Copa,tendo deixado de lado "as revelações".Por isso seu relacionamento com parte da imprensa praticamente deixou de existir.

 

A eliminação precoce da Copa de 2010 fez a CBF anunciar sua demisão em 23 de julho de 2010. A Seleção de Dunga obteve a sexta colocação no mundial da África do Sul,apresentando um futebol muito ruim.

 

Com a demisão de Dunga, a CBF convoca Mano Menezes para assumir o comando técnico da Seleção.Parece que Mano assumiu a Seleção com o propósito de equilibrar bom futebol com resultados de vitória.De imediato,convocou as "novas revelações" cobradas pela maioria das pessoas ligadas ao futebol.Na estreia,a Seleção de Mano começou bem. Venceu Os Estados Unidos num amistoso disputado em Nova Jérsei. Nesse jogo, a Seleção venceu de 2 a 0 apresentando um bom futebol dando a impressão de que com Mano,estaríamos voltando aos bons tempos do nosso futebol.

 

Até mesmo  imprensa internacional destacou a volta do 'Futebol-arte' da Seleção.Além disso,Mano conseguiu três vitórias em sequência,fato que não ocorria desde 1990,com Parreira. Porém,no primeiro clássico de Seleções,foi derrotado pela Argentina em novembro de 2010.Em outros dois jogos,com seleções consideradas grandes, acumulou mais duas derrotas:França 1 x0 e Alemanha 3 x 2.

 

A partir dessa situação de fracassar diante de seleções fortes e do mau desempenho das novas revelações,tais como  Neymar e  Ganso, o trabalho de Mano à frente da Seleção começou a ser posto em dúvida.

 

Entretanto,a participação desastrosa da Seleção na Copa América 2011 foi o maior motivo para se intensificar o crescimento do descrédito no trabalho de Mano.Jogando contra Seleções que outrora a Canarinho goleava com facilidade, a Seleção de Mano se enganchou. Não conseguiu passar das quartas de final pela Paraguai,sendo eliminada nos pênaltis.

 

Com o mau desempenho das "novas revelações" nos jogos e com  o  crescimento da perda de credibilidade da Seleção de Mano,estaria o destino da Canarinho colocado nas mãos da Seleção sub-20 para a Copa de 2014? Caso Mano seja demitido até 2014,conseguirá o novo técnico reencontrar  a identidade do nosso futebol? Mas também seria utópico imaginar que o retorno aos bons tempos do futebol depende apenas de bons jogadores ou de bons técnicos. Segundo especialistas,  o Uruguai e a Espanha somente conseguiram dar um salto na qualidade de seu futebol,com a mudança das estruturas administrativas responsáveis pelo gerenciamento desse esporte naqueles países.

 

 

 

Este texto foi publicado em 2011, no Blog Eternamente Futebol 

 

 

Marcos Antonio Vasconcelos  Rodrigues - Desportista, ACOMPANHA FUTEBOL DESDE OS ANOS 1970. REDATOR DO SITE ETERNAMENTE FUTEBOL . AUTOR DO LIVRO "PALAVRAS DO MEU SENTIMENTO".

 

Em 16 de abril de 2020