Get Adobe Flash player

Fortaleza enfrenta a Chape buscando reação no returno e distância da Zona de queda

Fortaleza enfrenta a Chape buscando reação no returno e distância da Zona de queda 

 

A expectativa da comissão técnica é melhorar o desempenho tricolor, que soma apenas uma vitória das últimas seis partidas. Sob o comando de Rogério Ceni, o time busca melhorar o desempenho na Arena Castelão 

 

O objetivo está traçado: permanecer na Série A do Brasileiro. A missão do Fortaleza é a mesma dos demais 19 clubes, mas com o peso de ter ficado longe da elite por 12 anos. Alcançar o objetivo significa, pelo menos, mais seis vitórias nas 15 rodadas finais. Neste cenário, vencer a Chapecoense amanhã, às 20h30, na Arena Castelão, é fundamental.
Um revés não deixa o Leão no Z-4, uma vez que, mesmo com a distância de três pontos, o CSA ficaria ainda com um ponto a menos, se vencer e o Tricolor perder. Em 14º, com 25 pontos na tabela, ascender na pontuação e frear os concorrentes diretos é a melhor conjuntura possível para galgar a vaga em 2020.

 

Além do triunfo, a projeção também exige uma melhoria de desempenho no 2º turno. Em quatro partidas, o aproveitamento leonino foi de 25%, o mesmo do início da competição. O que muda é o crescimento dos concorrentes diretos no período: Goiás (100%), Fluminense (58%), CSA (50%), Vasco (33%) e Avaí (25%).
 
A receita ainda solicita acréscimo no aproveitamento dentro de casa. Junto ao torcedor, o time acumula tropeços: derrotas para Athletico/PR, Internacional, Fluminense e Palmeiras. A vitória contra o Botafogo foi a única das últimas seis partidas, somada a quatro derrotas e um empate neste período.
 
Todo o panorama O objetivo está traçado: permanecer na Série A do Brasileiro. A missão do Fortaleza é a mesma dos demais 19 clubes, mas com o peso de ter ficado longe da elite por 12 anos. Alcançar o objetivo significa, pelo menos, mais seis vitórias nas 15 rodadas finais. Neste cenário, vencer a Chapecoense amanhã, às 20h30, na Arena Castelão, é fundamental.
 
Um revés não deixa o Leão no Z-4, uma vez que, mesmo com a distância de três pontos, o CSA ficaria ainda com um ponto a menos, se vencer e o Tricolor perder. Em 14º, com 25 pontos na tabela, ascender na pontuação e frear os concorrentes diretos é a melhor conjuntura possível para galgar a vaga em 2020.

 

Além do triunfo, a projeção também exige uma melhoria de desempenho no 2º turno. Em quatro partidas, o aproveitamento leonino foi de 25%, o mesmo do início da competição. O que muda é o crescimento dos concorrentes diretos no período: Goiás (100%), Fluminense (58%), CSA (50%), Vasco (33%) e Avaí (25%).
A receita ainda solicita acréscimo no aproveitamento dentro de casa. Junto ao torcedor, o time acumula tropeços: derrotas para Athletico/PR, Internacional, Fluminense e Palmeiras. A vitória contra o Botafogo foi a única das últimas seis partidas, somada a quatro derrotas e um empate neste período.
Todo o panorama reforça a necessidade de bater a Chapecoense e, se possível, conquistar um placar mais elástico. Isso porque o saldo de gols tricolor é negativo (-8). Segundo critério de desempate, o índice precisa ser recuperado. O arquirrival Ceará, duas posições atrás, por exemplo, tem -2.
 
O esquema tático tradicional, 4-2-4, ganhou alternativa com Ceni: 4-3-3. O teste veio contra o São Paulo e foi bem avaliado pelo técnico. O meia argentino Mariano Vázquez é favorito para a camisa 10. Tem atributos para atuar centralizado e aberto no sistema ofensivo.
 
Mas com André Luís e Romarinho recuperados, a escalação é uma incógnita. Como baixa, o Fortaleza não conta com o goleiro Felipe Alves, que se recupera de lesão no adutor da coxa. O zagueiro Jackson sentiu incômodo no ombro e é dúvida. de bater a Chapecoense e, se possível, conquistar um placar mais elástico. Isso porque o saldo de gols tricolor é negativo (-8). Segundo critério de desempate, o índice precisa ser recuperado. O arquirrival Ceará, duas posições atrás, por exemplo, tem -2.
O esquema tático tradicional, 4-2-4, ganhou alternativa com Ceni: 4-3-3. O teste veio contra o São Paulo e foi bem avaliado pelo técnico. O meia argentino Mariano Vázquez é favorito para a camisa 10. Tem atributos para atuar centralizado e aberto no sistema ofensivo.
 
Mas com André Luís e Romarinho recuperados, a escalação é uma incógnita. Como baixa, o Fortaleza não conta com o goleiro Felipe Alves, que se recupera de lesão no adutor da coxa. O zagueiro Jackson sentiu incômodo no ombro e é dúvida.
 

Fonte: Diário do Nordeste - Alexandre Mota 
Divulgacão: Site Eternamente Futebol 
Em 08 de outubro de de 2019