Get Adobe Flash player

Centrado, habilidoso com pés e mãos, e vencedor: Santos chega à Seleção

Centrado, habilidoso com pés e mãos, e vencedor: Santos chega à Seleção
 
Credenciado pelas conquistas no Athletico-PR, camisa 1 é uma das novidades de Tite para amistosos de outubro. 
 

Gabriel Rodrigues e Vinícius Faustini

 21/09/2019

 10:43

Rio de Janeiro (RJ)

 

A convocação de Tite para os amistosos da Seleção Brasileira contra Senegal e Nigéria deu passagem a um goleiro "novato" que chega repleto de credenciais. Um dos pilares da mudança de patamar do Athletico-PR, Santos já havia sido crucial na conquista da Copa Sul-Americana de 2018. Mas seu desempenho durante o inédito título do Furacão na Copa do Brasil arrebatou de vez o treinador.

- O Santos, nós estávamos assistindo ao jogo da final (da Copa do Brasil, entre Athletico-PR e Internacional)... A gente estava sentado e o presidente (da CBF, Rogério Caboclo) falou: "Tite, o que tu acha do Santos?". Eu disse: "ele é um goleiro seguro, discreto e joga muito bem com os pés, fora outras virtudes e informações".
A segurança do camisa 1 ficou mais nítida nas quartas de final e nas semifinais. Mesmo diante de um Maracanã lotado, Santos defendeu os pênaltis de Diego (em cobrança na qual só ficou estático para salvar uma "cavadinha" do camisa 10 do Rubro-Negro) e de Everton Ribeiro e levou o Furacão a despachar o Flamengo. Na fase seguinte, voltou a brilhar ao pegar pênalti de Pepê na disputa de pênaltis contra o Grêmio.

O grande desempenho, porém, não é visto como surpreendente por quem conhece o goleiro nascido em Cabaceiras (cidade a 166km de João Pessoa que recebeu o apelido de "Roliúde nordestina", pois lá foram gravados filmes como "O Auto da Compadecida" e "Cinema, Aspirinas e Urubus").  Primeiro treinador de Santos no Porto de Caruaru (PE), Luciano Ribeiro apontou alguns detalhes que já pesavam para ele:

- Desde que chegou, o Santos mostrou que era muito concentrado, calado, e bastante observador. E acima de tudo: tinha qualidade com os pés, algo que é tão valorizado no futebol atualmente, pois as jogadas já começam com os goleiros - lembrou, ao LANCE!.
Preparador de goleiros que ficou com a responsabilidade de aprimorar Santos no Porto-PE, Felix recorda a saga do camisa 1:

- Ele foi trazido de Campina Grande por um rapaz chamado Dario (segundo treinador da carreira do goleiro). Eu era preparador de goleiros do Porto de Caruaru na época, e ele foi crescendo aos poucos aqui. O Santos chegou se destacou muito em uma edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Aí, em 2008, veio o Athletico-PR e fez a proposta para ele sair.

O ex-preparador de goleiros detalhou que, desde cedo, Santos tinha algumas características que ainda carrega com ele:

- A tranquilidade dele, a calma que tem para evitar um chute do adversário. Estas coisas me deixam muito grato.

Luciano Ribeiro (que hoje é treinador do Sete de Setembro-PE), vê uma evolução no seu antigo comandado:

- É muito frequente as jogadas se iniciarem com ele e, com o passar do tempo, ficou ainda mais concentrado. Além disto, ganhou confiança e tem mostrado reflexo para se firmar em especial na Arena da Baixada, onde a grama é sintética.

O ex-preparador de goleiros, Felix, não escondeu a euforia de ver o "pupilo" na Seleção Brasileira:

- Foi bem gratificante. Vi o Santos se desenvolver como jogador, se firmar e, de repente, acontecer a convocação. Isto não tem preço para.

Já o ex-técnico do camisa 1 do Furacão revelou um contato com o novo convocado de Tite.

- Consegui o telefone dele, mandei uma mensagem. Além de deixar parabéns, disse para ele continuar a ser este jogador centrado, firme. Tenho certeza de que ele vai longe. É mais um atleta do Porto que se destaca - disse, destacando o fato de o clube de Caruaru já ter sido palco dos primeiros passos de jogadores como Josué, Rômulo e Araújo.

Uma das pessoas que mais conviveram com Santos em seu início de carreira, Felix deixou um conselho para a sequência de caminhada do goleiro:

- Não deixar o sucesso com esta convocação subir à cabeça. Continue a agir da mesma forma que chegou na Seleção Brasileira.

O técnico Luciano Ribeiro ratifica este "conselho" à novidade de Tite:

- Que ele não mude. Ele já treinava muito, agora vai ter de treinar mais ainda. Mais difícil do que chegar à Seleção Brasileira, manter-se no patamar de Seleção. Além disto, acredito que o Athletico-PR tenha muito a crescer e muito a conquistar - e completa:

- O Santos sabe disto, e vai manter o jeito dele. Ele é muito reservado, não entra em grandes polêmicas. É só ter esta continuidade. 
 
Fonte: Lance!
Divulgação: Site Eternamente Futebol