A Olimpíada de Tóquio 2020 será adiada?

A Olimpíada de Tóquio 2020 será adiada?
 

Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Na teoria, o grande evento esportivo do ano. Teoria porque a pandemia do novo coronavírus pôs em dúvida a realização da Olimpíada na cidade japonesa. Ainda que o Comitê Olímpico Internacional (COI) não tenha tomado a decisão, existe muito debate sobre a questão. Um debate protagonizado por dois lados.

Comitês Olímpicos pressionam por adiamento

Não há dúvidas de que o evento corre risco de não acontecer - ao menos existe pressão para isso. Com a pandemia ocasionando mais de 10 mil mortes até o momento, diversos comitês estão se manifestando contrários à realização das Olimpíadas neste ano.

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB), por exemplo, divulgou nota oficial neste sábado (21) pedindo o adiamento dos Jogos para 2021. Antes, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) já havia manifestado a mesma opinião. Tanto o COB quanto o CPB fecharam seus centros de treinamento.

“O Comitê Olímpico do Brasil defende a transferência dos Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021, em período equivalente ao originalmente marcado, entre o fim de julho e a primeira quinzena de agosto.

A posição do COB se dá por conta do notório agravamento da pandemia do COVID-19, que já infectou 250 mil pessoas em todo o mundo, e pela consequente dificuldade dos atletas de manterem seu melhor nível competitivo pela necessidade de paralisação dos treinos e competições em escala global”, diz parte da nota do COB.

Além do COB, o Comitê Olímpico Espanhol (COE) foi outro que pediu o adiamento dos Jogos. Dois importantes dirigentes da Itália, país mais com maior número de mortes causadas pela Covid-19 também fizeram um apelo, mas até o momento nada disso vem sensibilizando o COI ou o governo japonês.

“Nós somos diferentes de outras organizações”, diz COI

Embora diga estar atento às notícias da pandemia do novo coronavírus, o presidente do COI, Thomas Bach, ainda mantém a posição de que o evento será realizado nas datas previstas – de 24 de julho a 9 de agosto.

Na última sexta-feira (20), a tocha olímpica chegou ao Japão sem ter passado pelo tradicional revezamento na Grécia, que apesar de ser o berço dos Jogos cancelou a tradição para evitar aglomerações visando a proteção de seu povo. O governo japonês também é contra qualquer adiamento.

Tocha Olímpica, no Japão (Foto: Getty Images)

“É claro que estamos considerando cenários diferentes, mas somos diferentes de muitas outras organizações esportivas ou ligas profissionais (que adiaram grandes eventos), pois estamos a quatro meses e meio de distância dos Jogos. Eles são ainda mais otimistas do que nós, porque a maioria deles adiou seus eventos para abril ou final de maio. Estamos falando do final de julho”, afirmou Bach.

O que o histórico nos diz a respeito?

Nunca uma Olimpíada foi adiada desde a sua primeira edição moderna, em 1896. Nos períodos que englobam as Primeira e Segunda Guerra, o evento foi cancelado (em 1916 e, depois, 1940 e 1944).

“O COI tem o direito de cancelar os Jogos somente se eles não ocorrerem dentro de 2020. Isso pode ser interpretado como a possibilidade de os Jogos serem adiados, contanto que sejam realizados durante este ano”, disse a Ministra japonesa da Olimpíada Seiko Hashimoto.

Levando em conta o histórico, o bom-senso pede pelo cancelamento dos Jogos. Até porque os atletas não tiveram sequer tempo para se prepararem como de costume. O pré-olímpico de handebol, do qual participaria a seleção brasileira, por exemplo, foi suspenso; a suspensão da NBA também pode afetar o pré-olímpico de basquete e, hoje, menos de 60% das vagas gerais foram definidas.

Apesar de ter dito que "não existe solução ideal para esta situação”, o COI também já afirmou que vai tomar uma decisão definitiva até o fim de março.

 

Aguardemos.
 
Por Onefootball 
Em 21 de março de 2020 
ETERNAMENTE FUTEBOL