Get Adobe Flash player

Equilíbrio de grana na premiação da Série A

Colunistas: 
Marcos Antônio

Equilíbrio de grana na premiação da Série A 
 
Por Blog do Márcio Prado - No Mundo da Bola 
 
 
Subiu muito o dinheiro de premiação para os clubes no Campeonato Brasileiro. O campeão ganhará 33 milhões contra 18 no ano passado. O vice levará 31 milhões, sendo que no ano passado o prêmio era de apenas 11. É bom notarmos que a diferença ficou muito menor. E não apenas do primeiro para o segundo.
 
O 16º do ano passado, ganhou 740 mil reais, agora será 11 milhões, ou seja “apenas” dois terços menos que o campeão. Antes a diferença era mais de 20 vezes pró primeiro colocado. Claro que a diferença segue grande, mas agora as coisas estão se aproximando.
 
Qual o sentido disso? Equilíbrio. Há necessidade de todos terem dinheiro, para que possam brigar melhor por títulos e contratações de bom nível. No Brasil comete-se o erro de se falar num equilíbrio, que não existe. Há quem diga que existem 12 times grandes por aqui. Será mesmo?
 
Nos últimos 9 Brasileiros só 4 equipes ganharam. O Grêmio não vence desde 1996, o Botafogo desde 1995, o Vasco ganhou a última em 1997, o Santos em 2004  e o São Paulo em 2008. Nas últimas 6 competições só Cruzeiro, Palmeiras e Corinthians venceram. Ou seja, há muita conversa e pouca igualdade de fato. E agora com o dinheiro diferente de Palmeiras e Flamengo, eles ficaram em outro patamar.
 
Como os prêmios para os ganhadores ainda eram muito maiores, a desproporção foi ficando impossível de gerar equilíbrio. Agora, pelo menos na divisão do dinheiro por colocação, poderemos ter mais igualdade. A médio prazo, quem sabe, teremos realmente uma proximidade maior entre eles, embora sempre respeitando as desigualdades tão naturais do futebol.
 
 
Divulgação: Site Eternamente Futebol 
Em 05 de maio de 2019