Get Adobe Flash player
Recomende este Site!

Ranking da CBF 2019: Ceará ganha 4 posições e segue como primeiro cearense; Fortaleza e Ferrão sobem bastante

Ranking da CBF 2019: Ceará ganha 4 posições e segue como primeiro cearense; Fortaleza e Ferrão sobem bastante
 
O ranking da CBF que será atualizado em breve trará o Ceará na 23ª colocação, a melhor posição de uma equipe cearense, situação que vem ocorrendo desde a adoção do novo ranking, em 2013. O critério da entidade que comanda o futebol é levar em conta os cinco anos mais recentes (no caso de 2019, de 2014 a 2018, portanto), atribuindo pontuações e pesos para as colocações das equipes nos respectivos torneios ano a ano. As projeções e cálculos são do estatístico Thiago Minhoca, também comentarista da rádio O POVO/CBN.
 
Nesta temporada o Ceará garantiu 721 pontos levando em conta o cenário de 2018 e assim subiu do 27º lugar para o 23º; campeão da Série B do Campeonato Brasileiro, o Fortaleza garantiu 933 pontos de diferença de um ano para o outro e assim conseguiu sair da 42ª colocação para a 33ª, ganhando nove posições. Campeão da Série D e com boa campanha na Copa do Brasil, o Ferrão ganhou 1000 pontos, aparecendo pela primeira vez no ranking recente, passando a ocupar o 73º lugar.
 
Todas essas pontuações já levam em consideração os descartes e a mudança de peso ano após ano (como exemplo, vale citar que o desempenho de 2018, o mais recente, tem peso 5, o maior da relação).
 
Em 2019 será a primeira vez que o futebol cearense aparecerá no ranking com 10 clubes. O líder será o Palmeiras, com 16.914 pontos, seguido por Cruzeiro, Grêmio, Santos e Corinthians. Abaixo você confere a colocação dos cearenses em 2019 e as regras completas para entender perfeitamente os critérios:
 
23 – Ceará 6274
33 – Fortaleza 4222
73 – Ferroviário 1000
85 – Guarani de Juazeiro 814
99 – Icasa 643
141 – Guarany de Sobral 370
176 – Atlético Cearense 216
200 – Floresta 75
218 – Barbalha 25
218 – Horizonte 25
 
O regulamento:
 
a) O ranking considera a participação do clube em competições realizadas nos últimos cinco anos (ranking dinâmico);
b) Para cada um dos cinco anos do período considerado, do mais recente ao mais distante, são atribuídos pesos,
a serem convertidos sobre cada pontuação, a saber:
1- Ano vigente (n) Pontos x 5
2- Ano imediatamente anterior (n-1) Pontos x 4
3- Ano anterior (n-2) Pontos x 3
4- Ano anterior (n-3) Pontos x 2
5- Ano anterior (n-4) Pontos x 1
c) A pontuação máxima de cada Série (A/B/C/D) representa o dobro da pontuação da Série inferior.
d) A pontuação do clube vice-campeão de uma Série é sempre 80% da pontuação do campeão.
e) A pontuação dos terceiros e quartos lugares de uma Série é sempre, respectivamente, 75% e 70% da pontuação do campeão.
f) Na tabela 1, da classificação 24 em diante repete-se a pontuação da posição 23.
g) A menor pontuação de uma Série é sempre superior à atribuida ao campeão da Série imediatamente inferior.
h) Considerando que a Copa do Brasil de 2013 a 2016 foi disputada em sete fases, foi atribuído para o referido período
10 pontos para os clubes participantes da Fase Preliminar (Acre x Espírito Santo) que ocorreu entre aos anos de 2013 a 2015.
i) Por consequência, a Fase 1 recebeu a pontuação da Referência 8, para Fase 2 atribui-se a referência 7 e para os clubes da
Fase 3, a pontuação da Referência 6.
j) A partir de 2017, quando não há mais Fase Preliminar e a Copa do Brasil passa a ter oito fases, a referência 9 (15 pontos) destina-se aos participantes da Fase 1. Para as demais fases segue a pontuação da Tabela 2 (acima).
 
 

Fonte: O Povo -Fernando Graziani 

Divulgação: Site Eternamente Futebol

Em 02/12/2018