Get Adobe Flash player
Recomende este Site!

Sete empresas disputam a Arena Castelão

Sete empresas disputam a Arena Castelão
 
No próximo dia 12, o Governo do Ceará realizará audiência pública com os interessados em participar da licitação para a escolha da empresa ou consórcio que ficará à frente da administração da Arena Castelão, em Fortaleza, por 20 anos. Sete companhias nacionais e estrangeiras com expertise na gestão de estádios de futebol já entraram na disputa pelo equipamento.
 
Além da brasileira Luarenas, atual administradora do estádio e que terá contrato encerrado em 13 de dezembro, um dia após a audiência pública, também estão de olho no Castelão as seguintes empresas: Lagardère (francesa), GL Events (francesa), AEG Global Partnerships (norte-americana), Lusoarenas (portuguesa), WTorre (brasileira) e Brio (brasileira).
 
Ainda foram convidados para a reunião representantes de empresas de marketing esportivo, da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), da Federação Cearense de Futebol (FCF), do Ceará Sporting Club e do Fortaleza Esporte Clube. Os dois times cearenses, inclusive, já demonstraram interesse na gestão conjunta da Arena Castelão. Mas as chances de ganharem o certame, caso participem, são pequenas. Isso porque um dos principais critérios para a escolha da empresa vencedora será maior experiência na administração de estádios, conforme prevê o edital, divulgado no último mês de outubro.
 
Em regime de Parceria Público-Privada (PPP), a licitação para a gestão, operação e manutenção da arena multiuso, incluindo estacionamento coberto e pátio externo, terá investimento do Estado no valor de R$ 214,6 milhões durante os 20 anos de contrato. O montante será pago em prestações mensais de R$ 894 mil, totalizando desembolso anual de R$ 10,7 milhões. Segundo estudo do Instituto de Pesquisa e Estratégica Econômica do Ceará (Ipece), a PPP representará uma economia de R$ 185,7 milhões aos cofres públicos estaduais.
 
Após a audiência pública, que começará às 9 horas no Auditório Blanchard Girão, na Avenida Alberto Craveiro, o edital será analisado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Alguns itens do documento estão sendo reformulados após sugestões feitas por empresas como a Ernst & Young (EY) e acatadas pelo Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas (CGPPP). A expectativa do Governo do Ceará é que o novo contrato seja firmado no início de 2019, de acordo com a Secretaria do Esporte (Sesporte). 
 
 
Fonte: O Povo - Raone Saraiva
Divulgação: Site Eternamente Futebol
Em 03/12/2018