Get Adobe Flash player
Recomende este Site!

Ceará paga dívida de R$ 2.2 milhões por jogador que passou pelo clube em 2010 e fez três jogos

Ceará paga dívida de R$ 2.2 milhões por jogador que passou pelo clube em 2010 e fez três jogos
 

Edson Sitta esteve recentemente no Bragantino. Foto: Bragantino/Divulgação.
 

Edson Feliciano Sitta. Ou só Edson Sitta, como é conhecido no futebol. Muitos dos torcedores do Ceará sequer sabem quem é ou guardam lembranças desse jogador, muito menos que ele já defendeu o
Alvinegro (em apenas três jogos, há oito anos) e agora o clube terá que pagar uma dívida de nada menos que R$ 2.2 milhões por causa dele. E olha que o rombo nos cofres do clube poderia ter sido ainda pior.
Documentos obtidos com exclusividade pelo Blog comprovam que o valor corresponde a ação de reparação de danos morais movida contra o Alvinegro pela Unick Football Consultoria e Marketing Esportivo, empresa que era detentora dos direitos do atleta.
 
Isso porque na época em que esteve em Porangabuçu, em 2010, o contrato feito entre o clube (então presidido por Evandro Leitão) e a Unick estabelecia que em caso de qualquer conduta do Ceará que fizesse o atleta ter atestado liberatório, o clube deveria pagar multa de R$ 1 milhão. Foi o que aconteceu.
 
Na época, o Ceará não recolheu o FGTS do jogador e o afastou das atividades profissionais, mas sem realização da rescisão contratual, o que configurou rescisão indireta na Justiça do Trabalho. A Unick, por ter sido lesada, acionou a cláusula citada acima.
 
O processo corria na 3ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, onde o Ceará havia sido derrotado em todas as instâncias, e o valor total da dívida já estava em cerca de R$ 3.3 milhões. Foi quando o clube conseguiu entrar em um acordo com a Unick para reduzir o valor.
 
No dia 7 de junho, foi homologado acordo pela juíza Andréa Galhardo Palma que o Ceará diminuiria o valor da dívida para R$ 2.2 milhões, dos quais R$ 700 mil já foram pagos (R$ 500 mil em junho e R$ 200 mil em julho) e o resto será pago em 10 parcelas de R$ 150 mil por mês até maio de 2019.
 
O Blog entrou em contato com a Diretoria Executiva do Ceará, que respondeu que apenas o diretor Jurídico, Jamilson Veras, estava autorizado a falar sobre o assunto. À reportagem, ele confirmou que a atual gestão conseguiu a viabilização do acordo e que o clube está arcando com os pagamentos da dívida.
 
 
Fonte: André Almeida - O Povo 
Divulgação: Site Eternamente Futebol