Get Adobe Flash player
Recomende este Site!

Derley supera desconfiança e se torna "cão de guarda" do Fortaleza

Derley supera desconfiança e se torna "cão de guarda" do Fortaleza
 
 
De contratação contestada até conquistar a vaga de titular absoluto. Assim foi a evolução do volante Derley no Fortaleza em poucos meses. Ainda em novembro do ano passado, quando o meio-campista foi anunciado como primeiro reforço do Tricolor para 2018, seu nome gerava muita desconfiança entre os leoninos, mas hoje até os mais críticos se rendem ao bom desempenho do camisa 8, que é peça-chave na boa campanha do time no início da Série B do Campeonato Brasileiro.
 
Derley teve seu nome contestado pela suspensão que havia recebido ainda no ano passado, quando atuava pelo Santa Cruz. Ele perdeu a serenidade e deu uma cabeçada no árbitro Thiago Duarte Peixoto no clássico contra o Náutico, pela 33ª rodada da Série B. Como resultado, recebeu seis meses de gancho, pena que acabou reduzida pela metade depois de recursos impetrados pelos advogados. Porém, ele só pôde voltar a jogar no final de março. Acontece que nesses três meses que esteve sem poder atuar ele não recebia salários. Apenas uma ajuda de custos do clube para que pudesse ficar treinando. O longo tempo de preparação surtiu efeito: desde que entrou no time titular, Derley não saiu mais e é hoje peça-chave no esquema do técnico Rogério Ceni.
 
Primeiro volante, ele chega junto na marcação e não dá espaço aos adversários. Sempre com muita intensidade, raça e entrega. Prova disso é que é o líder do Fortaleza em desarmes na Série B, com nove roubadas de bolas nas quatro partidas. Além disso, Derley tem qualidade também pra sair jogando, já que detém um bom passe. Foram 170 passes, dos quais 158 corretos, representando 92,9% de acerto, incluindo três assistências para finalizações. 
 
Apesar de ser um “volante pegador”, o goiano de 31 anos tem sido mais disciplinado com a camisa tricolor e cometeu poucas faltas na Série B. Foram somente nove em quatro jogos, com média de 2,3 por partida. O segredo, segundo ele, é a entrega coletiva e o bom funcionamento da mecânica de jogo que o time tem encontrado na Série B. Mas ainda resta muito a ser feito.  
 
“O ambiente está muito bom e o espírito de equipe muito forte. O início está sendo muito promissor, mas faltam muito jogos, ainda estamos no começo e precisamos manter essa regularidade até o final da Série B. Vamos manter essa pegada”, destacou.
 
Com 10 pontos em quatro jogos, o Fortaleza só volta aos gramados no próximo dia 12 de maio, quando recebe o Goiás, pela 5ª rodada da Série B. Enquanto isso, treina, estuda e observa, ainda na 4ª rodada, Paysandu e Vila Nova. Caso um deles vença, o Tricolor perde a liderança. 
 
 
O Povo - André Almeida 
Divulgação: Site Eternamente Futebol