"O treinador de futebol no Brasil, hoje, é um cigano", diz Argel Fucks em sua apresentação no Ceará

"O treinador de futebol no Brasil, hoje, é um cigano", diz Argel Fucks em sua apresentação no Ceará
 

Técnico chega para comandar o Vovô nas últimas 3 rodadas da Série A
 
O novo técnico do CearáArgel Fucks, chegou em Porangabuçu confiante de evitar o rebaixamento do clube alvinegro. O comandante chegou em solo cearense no começo da tarde e conversou com a imprensa antes de comandar o primeiro treino com o grupo nesta tarde de sexta-feira (29). 
 

 

"Vejo a dança das cadeiras normal no futebol brasileiro. O resultado que vai me manter ou não. Se trouxesse o Jorge Jesus e ele perdesse 6 jogos pelo Flamengo, ele não estaria mais aqui. O futebol brasileiro não tem tempo, tem pressa. Eu nunca reclamei de uma demissão. Nós, treinadores, estamos acostumados. Eu adoro essa pressão"

 

Fucks estava no CSA até esta quinta à noite, quando venceu o Cruzeiro por 1 a 0, evitando com que o Ceará, seu novo clube, entrasse na zona do rebaixamento. Em sua apresentação, ele contou os motivos de ter escolhido o time cearense na reta final do Campeonato.
 
"O futebol é dinâmico. Você precisa ter ambições profissionais. Tinha muita vontade de vir pra esse clube pela torcida, pela estrutura. Meu contrato não tinha multa. Foi muito legal no CSA pelos 6 meses que trabalhamos lá. Um perfil mais copeiro. Esse é o estilo que vamos tentar inserir aqui. Pelo projeto apresentado, decidimos vir aqui", falou Argel.
 
O novo treinador destacou a qualidade do elenco alvinegro e chamou a torcida para o jogo deste sábado (30), contra o Athletico/PR, às 19h, na Arena Castelão.
 
"É fundamental o Ceará continuar na Série A, principalmente em nível de receita. O objetivo é parecido com o do CSA. Eu não dormi nem na quarta-feira nem na quinta-feira. Uma coisa que nos fez acreditar no projeto foram os jogadores daqui. Jogamos contra o Ceará e foi muito difícil, parelho. Tivemos a felicidade de sair na frente e ganhar o jogo. Gosto muito da forma como o torcedor se comporta dentro do estádio. Amanhã, mais do que nunca, precisamos criar essa atmosfera e o torcedor ser o 12º jogador. Precisamos mostrar uma equipe diferente nesses 3 jogos", afirmou, confiante, o comandante.
 
Fucks também comentou sobre seu estilo de jogo, garantindo que atuações como a do 2º tempo contra o Flamengo na quarta-feira não devem se repetir.
 
"Temos já um modelo de jogo pra apresentar amanhã. Vamos aproveitar as coisas boas implementadas pelo Adilson. Gosto de jogar num 4-2-3-1 com um camisa 10 articulador, variando para um 4-3-3. Não usamos 3 zagueiros por não ser tão confiável. Assisti o jogo contra o Flamengo. Não podemos repetir aquele 2º tempo. Temos que pegar as coisas boas. Aqui não tem cadeira cativa, o importante é jogar futebol, não importa quanto você ganha. Hoje, todo mundo é titular", falou Argel.
 
Confira outros pontos da coletiva
 
Próximo adversário
 
"Viajei com o Athletico/PR para Fortaleza. Eles vêm com uma equipe praticamente titular. É uma equipe que tem qualidade. Tem 23 jogadores de alto nível, um grupo homogêneo. É o campeão da Copa do Brasil. Vamos colocar o melhor do que temos. É com esse grupo que vamos buscar a permanência na Série A"
 
Última proposta do Ceará
 
"Nesse último contato, a opção da diretoria era contrato até o final do Brasileiro. O treinador do futebol brasileiro hoje é um cigano. Ele passa em média 3 meses no clube. Ficamos 6 meses no CSA, então foi uma eternidade. O Ceará é um degrau acima hoje. Passamos pra um patamar diferente. Gosto desse tipo de correria. Não sou de esconder escalação. Quando precisar fechar o treino, vou fechar. Temos que ser simples no futebol. Posse de bola não é interessante. Interessante é bola na rede. Sempre vão me ver com o mesmo humor"
 
Elenco
 
"Sei que esses jogadores podem render mais, e vão render. É o momento de todo mundo trabalhar um pouco mais. Vejo um elenco capacitado, que jogou mais do que estão jogando. Precisamos de um grupo comprometido. Se alguém não quiser, a gente libera, sem problema nenhum. Eu sinto o cheiro do vestiário e já sei o problema. Desaprenderam a jogar futebol? Não. Perderam a confiança? Sim"
 
 
Por Diário do Nordeste 
"O futebol brasileiro não quer tempo, quer pressa", contou o novo técnico em sua chegada a Porangabuçu
Foto: Thiago Gadelha
Em 29 de novembro de 2019