PSG abre programa de sócio torcedor exclusivo para brasileiros

PSG abre programa de sócio torcedor exclusivo para brasileiros
 

Clube francês é o primeiro time europeu a criar um sócio torcedor no Brasil
 
Paris Saint-Germain decidiu extrapolar as fronteiras da França e abrir um programa de sócio torcedor exclusivo para os brasileiros. O clube aposta na ligação com a terra de NeymarMarquinhos Thiago Silva e na oferta de vantagens para atrair quem mora na América do Sul, mas torce pelo time. Os interessados pagam mensalidades de até R$ 49,90 e ganham como comodidades o desconto em produtos oficiais, a participação no sorteio de brindes e a compra de pacotes de viagens para ver jogos no estádio Parque dos Príncipes.
A novidade é duplamente inédita. O PSG é o primeiro time europeu a criar um sócio torcedor no Brasil, assim como o País é a primeira nação além da França a ter o programa. "O Brasil é um mercado interessante para o clube. Nossa marca é muito forte por aqui. Queremos ter visibilidade fora da França e vemos que existe potencial para crescer. Existe um público que gosta do clube", explicou ao Estado o diretor de operações do MyParis Brasil, o francês Sidney Bovy.

Um dos focos do projeto é atrair a garotada que acompanha o futebol europeu e gosta de jogar com o time de Neymar, Cavani e Di Maria no video game. O PSG quis apostar no sócio torcedor depois de avaliar positivamente outro projeto do clube no Brasil. Criada em 2014, a rede de escolinhas de futebol do clube no Brasil, a PSG Academy, conta com 15 unidades e 4 mil crianças de até 15 anos de idade.

O programa de sócio tem dois tipos de planos. O mais básico custa R$ 9,90 por mês e oferece de benefícios acompanhar a transmissão de jogos, vídeos de treinos e participar do clube de vantagens. A modalidade mais cara é de R$ 49,90 mensais, com a vantagem de ter prioridade na compra de pacotes de experiência para viagens à França com dois acompanhantes. O preço da excursão ainda não foi avaliado.

Segundo o diretor executivo do MyParis Brasil, Michel Cardoso, o intuito não é competir com os programas de sócio torcedor dos times brasileiros. "Não queremos concorrer. Nosso posicionamento é diferente. O PSG chega para propor uma parceria e oferecer experiências voltadas para a França e até atingir turistas que vão com frequência para lá", explicou.

O lançamento do projeto foi no fim do mês passado. O ex-lateral-esquerdo Maxwell, que jogou pelo PSG, veio ao Brasil para apoiar a divulgação e recebeu o título de primeiro sócio honorário. O clube alavancou o sócio torcedor ao oferecer a adesão aos 4 mil alunos da rede de escolinhas. Todos foram migrados para o pacote básico do programa.

Ligação antiga
 
 
O advogado carioca Pedro Lauro de Camargo, de 68 anos, se tornou um dos primeiros sócios torcedores do PSG no Brasil. Frequentador de Paris há muitos anos, ele viu no programa a oportunidade de levar os netos ao estádio. Os garotos são fãs do time de Neymar. "Entrei como sócio para me juntar aos meus netos. A oportunidade de fazer a viagem guiada, facilita demais. Você ir ao exterior e ter de ficar se preocupando com ingresso e deslocamento é muito difícil", afirmou.

Camargo agora consegue ver pela TV do clube a transmissão dos partidas do Campeonato Francês e brincou que os quatro netos têm pedido para ir aos jogos do PSG. "Antigamente as crianças só gostavam da Disney. Agora, eles querem experimentar mais como é o jogo de um time europeu", disse.
 

Saiba como assistir aos jogos do Campeonato Francês
 
Fonte: Estadão 
Um dos focos do projeto é atrair os jovens que acompanham o futebol europeu (Foto: CHRISTOPHE ARCHAMBAULT/ AFP)
Em 29 de novembro de 2019