Get Adobe Flash player

Mesmo com futebol ruim, queda nas receitas e dívidas astronômicas, os grandes clubes continuam pagando super salários a seus treinadores

Colunistas: 
Marcos Antônio

Embora o salário dos técnicos dos maiores clubes do país tenha caído em relação a 2013, o valor do salário que continuam recebendo pode ser considerado ainda muito alto para o atual contexto de nosso futebol : baixa frequência de público nos estádios, baixa qualidade técnica na maioria dos jogos e pior- nossos clubes estão atolados em dívidas.
Veja a relação dos técnicos que mais "embolsam " dinheiro de nossas maiores agremiações, segundo a Pluri Consultoria.

Os Salários dos Técnicos dos 12 clubes de maior Faturamento no Brasil - 2014

1 - Abel Braga - Inter - R$ 500 mil 
1 - Mano Menezes - Corintihans - R$ 500 mil 
1- Muricy Ramalho - São Paulo - R$ 500 mil os principais 
2-Marcelo Oliveira Cruzeiro- R$ 450 mil
3-Luxemburgo - Flamengo - R$ 350 mil
3 - Felipão - Grêmio - R$ 350 mil
4 - Levir Culpi - Atlético-MG - R$ 300 mil
5- Enderson Moreira - Santos - R$ 250 mil
6- Cristóvão Borges - Fluminense - R$ 200 mil
6- Dorival Junior - Palmeiras - R$ 200 mil
7- Vagner Mancini - Botafogo - R$ 150 mil
7- Joel Santana -Vasco - R$ 150 mil

Fonte: Pluri Consultoria

Segundo o Site UOL, que "teve acesso ao levantamento feito pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) incluindo o primeiro semestre deste ano: o total devido pelos clubes saltou de R$ 2 bilhões em dezembro de 2013 para R$ 2,18 bilhões. O Atlético-MG puxou a fila e, segundo a PGFN, foi o clube que mais aumentou suas dívidas federais, se tornando também o maior devedor da União após o primeiro semestre de 2014 – o número mais do que dobrou: de R$ 120 milhões para R$ 272 milhões.
Em seguida vêm os cariocas Fluminense, Botafogo e Vasco. O clube das Laranjeiras saltou de R$ 90 milhões para R$ 162 milhões; o Botafogo, que enfrenta uma das maiores crises financeiras de sua história, viu sua dívida ir de R$ 166 milhões para R$ 199 milhões; o Vasco, de R$ 135 milhões para R$ 153 milhões.
Dentre os paulistas, o aumento foi bem menor: o Santos viu sua dívida crescer R$ 8 milhões, de R$ 57 milhões para R$ 65 milhões; o Palmeiras, R$ 7 milhões, de R$ 39 milhões para R$ 46 milhões.
O Corinthians tem o maior débito no estado: R$ 142 milhões – o valor, porém, aumentou 'apenas' R$ 4,5 milhões em relação a 2013. O São Paulo é dono da menor dívida federal (aproximadamente R$ 7 milhões), que teve aumento de R$ 380 mil.
Os gaúchos mantiveram controle de suas pendências: somadas, as dívidas de Grêmio e Internacional subiram 'só' R$ 6,5 milhões. A do Cruzeiro, líder do Brasileirão, saltou de R$ 7,8 milhões para R$ 14 milhões.
Dentre os cariocas, o único que exerceu um controle rígido sobre a dívida federal foi o Flamengo: o valor aumentou R$ 234 mil. É, porém, a segunda maior entre os clubes brasileiros: R$ 253 milhões.
No total, as dívidas dos 12 clubes aumentaram em R$ 300 milhões no primeiro semestre deste ano: de R$ 1,2 bilhão para R$ 1,5 bilhão, segundo os dados da PGFN.
As dívidas com a União não são as únicas dos clubes brasileiros: existem também as estaduais, municipais, e dívidas bancárias. Para obter Certidões Negativas de Débito, que permitem receber patrocínios públicos e isenções fiscais, as equipes, por vezes, recorrem a empréstimos com bancos para quitar dívidas públicas. Por isso, o controle das dívidas federais não implica, necessariamente, em uma melhor gestão financeira."

Então, diante da mostragem das dívidas dos grandes clubes à União, sem se levar em conta os tributos municipais ,estaduais, gastos com salários e encargos sociais de funcionários, gastos com alimentação, concentração, dentre outras diversos custos que se tem para manter uma agremiação de futebol, pergunta-se: qual a lógica utilizada pelos diretores das grandes equipes para prosseguir pagando salários considerados ainda astronômicos a seus treinadores?

Além do mais, deve-se levar em conta, que tais técnicos , pouco ou quase nada contribuíram para criar algo de novo que pudesse colaborar na evolução de nosso futebol. Todos utilizam praticamente o mesmo estilo de jogo. Felipão, por exemplo, levou nossa seleção ao maior desastre da Canarinho na história das Copas. Após ser demitido da Seleção foi premiado pelo Grêmio com um salário mensal de R$ 350 mil. Luxemburgo , que teve passagem apagada como técnico da Seleção, recebe salário mensal de R$ 350 mil , de uma agremiação afundada em dívidas, o Clube de Regatas Flamengo.

Segundo a Pluri consultoria, o salário dos técnicos teve uma pequena queda em relação a 2013, mas conforme já afirmado anteriormente, ainda continua muito altos para a realidade de nosso futebol. Veja o que diz a Pluri Consultoria:

"Após uma insustentável espiral de alta, os clubes Brasileiros mantém pelo 2º ano, 
um ajuste gradual dos salários dos técnicos de futebol, a patamares mais adequados a 
nossa realidade. Porém, a queda verificada ainda não é suficiente dada a situação 
financeira dos clubes, e novos ajustes serão necessários. Veja abaixo
para o total dos 12 clubes analisados em relação a 2013, e de R$ 16,6 milhões + encargos 
em relação a 2012."

Propõe-se aos dirigentes de clubes que revejam suas políticas de contratação de técnicos para seus clubes e que criem estratégias para se produzir uma nova cultura de contratação de treinadores e demais auxilaires , tendo em vista o declínio geral por que passa nosso futebol.

Marcos Antonio Vasco Rodrigues - Escreve contos, artigos e crônicas -Desportista e Membro do Clube dos Escritores Piracicaba