Get Adobe Flash player

O Fortaleza "apodrece" numa Série inferior em que o maior clube é ele mesmo.

Colunistas: 
Marcos Antônio

 
O Fortaleza "apodrece" numa Série inferior em que o maior clube é ele mesmo
 
Há algum tempo venho falando sobre a necessidade de se restaurar o futebol cearense . Não é possível que a quinta maior metrópole do país e que é detentora de duas das maiores torcidas do Brasil, prossiga fazendo campanhas medíocres nos torneios nacionais e apresentando desempenhos piores que equipes do interior do Rio de Janeiro, Mato Grosso, interior de São Paulo, dentre outras. Obviamente, refiro-me aos fracassos de Ceará, Fortaleza ,principalmente, Icasa e Guarany de Sobral em torneios nacionais, mas neste texto quero deter-me apenas ao fracasso do Fortaleza em meia década de tropeços na Terceirona.
Entende-se que a crise por que passa o futebol brasileiro e cearense é geral,mas é inaceitável que uma equipe da grandeza do Fortaleza permaneça por tanto tempo numa Série inferior como a Série C .
Historicamente, não dá para comparar a grandeza do Fortaleza em termos de torcida e conquistas com Macaé, Sampaio Correia, Oeste ,Luverdense. A pior tragédia não é o time ter caído para a Série C, há cinco anos,mas tragédia maior é a permanência por tantos anos numa Série em que a maior equipe sempre foi o próprio Fortaleza.
A torcida sempre fez sua parte. Seja no incentivo, em presença nos estádios, seja participando dos eventos promovidos pelo clube. Por mais que se queira encontrar razões para justificar tanto tempo numa Série inferior como a Série C, não se encontrarão. Não há outra palavra para definir esse fracasso por tanto tempo: incompetência dos gestores que administraram a agremiação durante esse período. 
A fragilidade e descrédito do time é tão grande que o time passa a ter notoriedade mais pela torcida, que pelo desempenho do time nos torneios.
Até se deve reconhecer o trabalho e o esforço da atual diretoria, o trabalho de Chamusca. Mas em futebol todos sabem que o que importa é o resultado final. E neste quesito, Chamusca e a atual diretoria fracassaram. 
quando vi a forma covarde com que o Fortaleza encarou o Macaé no Rio no primeiro jogo do mata-mata, logo comentei com os colegas que o Fortaleza não conseguiria vencer o Macaé na Arena Castelão. Deveria ter feito como fez o CRB contra o Madureira que foi ao Rio com o propósito de vencer o Madureira e conseguiu seu objetivo. 
Contra o Macaé, via-se claramente que o Fortaleza fazia questão de não buscar a vitória. Que estava satisfeito com o empate. A meu ver, vencer o Macaé em seus domínios seria mais fácil que vencer aqui. Lá, O time carioca saiu para o jogo, deixava espaços para contra atacar. Aqui, qualquer neófito em futebol sabia que o Macaé usaria aquela estratégia de jogo que usou no empate de 1 x 1, pois estava consciente de que o Fortaleza não tinha competência para furar retranca. O erro de Chamusca foi não saber fazer essa leitura. O jogo deveria ter sido decidido lá, não aqui. A diretoria também é culpada, pois não advertiu o técnico Marcelo Chamusca sobre esse detalhe.
Além da diretoria, parte da crônica esportiva cearense também tem sua parcela de culpa, pois não faz análises mais aprofundadas na participação dos jogos do time no torneio. alguns limitam-se a fazer elogios à equipe, dizer que é o melhor time da série C, mas se esquecendo de mostrar as dificuldades e as carências da equipe. Alguns até apontavam, por exemplo, o Macaé como um time medíocre, que vencê-lo seria coisa fácil, esquecendo de chamar atenção para o fato de que o time carioca é acostumado a jogar com equipes da primeira divisão do futebol carioca, como Flamengo, Botafogo, Vasco, Fluminense e que em mata-mata a situação se complica ainda mais. 
Vi que alguns torcedores tinham uma análise mais consciente que certos comentaristas.
Será que após mais um fracasso tudo vai continuar como sempre? Que mudanças virão? Que estratégias antecipadas serão traçadas? Será formado um núcleo de torcedores para opinar, participar das decisões do clube nas reuniões? As opiniões de certos torcedores na maioria das vezes mais lúcidas que os da própria diretoria e de parte da crônica esportiva serão consideradas?
Enfim, o que será  feito? Aguarda-se por mudanças. É coerente e justo um dos maiores times do país ficar "apodrecendo" numa Série inferior de nosso futebol por tantos anos?
 
Marcos Antonio Vasco Rodrigues - Redator do Site Eternamente Futebol - Membro do Clube dos Escritores Piracicaba - São Paulo