Em breve , poderemos ter uma nova geração de torcedores fiéis

 

 

Em breve , poderemos ter uma nova geração de torcedores fiéis

 

Acredito que com o advento das redes sociais e com menos influência da Rede Globo , Band e grande parte de radialistas esportivos , futuramente teremos uma geração de torcedores com percentual menor de mistos.

 

É inaceitável que a torcida do Flamengo em alguns estados do Nordeste, principalmente, e Norte seja maior que a torcida do Flamengo no estado de origem do time carioca, o Rio de Janeiro.

 

O maior contingente dos mistos nordestinos surgiram , principalmente, após as transmissões dos jogos dos times do Sul e Sudeste para todo o Brasil, especialmente para o interior e regiões metropolitanas.

 

Obviamente existem outras causas , mas a principal é esta.

 

Acrescente-se também como importante a influência de parte de radialistas esportivos que até há bem pouco tempo exerciam enorme influência sobre os torcedores.

 

Eu ouvi muitas vezes , frases de radialistas esportivos à época considerados formadores de opinião, ( hoje não são mais) manifestando amor por times de fora: " Meu MENGÃO", " Meu tricolor pó de arroz" , " Meu Fluminense" , " Meu querido Vasco da Gama" , " Meu alvinegro da estrela solitária" e tantas outras desse tipo.

 

À época em que a Band ( anos 80 e parte dos anos 90) transmitia o campeonato italiano , eu via mais pessoas com camisas do Milan , Napoli , por exemplo, do que com camisas de times da terra. ( Isto prova a influência da TV sobre torcedores)

 

Esses radialistas , todos ou quase todos torcedores mistos, passavam a ideia de que torcer por um time do eixo Sul/Sudeste era normal e até charmoso.

Erroneamente, o torcedor misto acha que não está benefícianfo o time de fora pelo qual torce e que não está prejudicando o time da região onde mora. Está e muito. É só racionar um pouquinho e ele mesmo chegará a essa conclusão.

 

 

Marcos Rodrigues - Redator do Site Eternamente Futebol.

Em 13 de fevereiro de 2021 - 13h40min