Cruzeiro é condenado a pagar R$ 3,2 milhões ao atacante Rafael Sobis; clube mineiro vai recorrer

Cruzeiro é condenado a pagar R$ 3,2 milhões ao atacante Rafael Sobis; clube mineiro vai recorrer 
 

Decisão da Justiça do Trabalho data dessa terça-feira; cabe recurso
 

 João Vitor Marques /Superesportes
 
 postado em 16/09/2020 12h25 / atualizado em 16/09/2020 13h54
 
 

Cruzeiro foi condenado nessa terça-feira a pagar cerca de R$ 3,2 milhões ao atacante Rafael Sobis, que atualmente defende o Ceará. A decisão em primeira instância da Justiça do Trabalho de Belo Horizonte foi noticiada inicialmente pelo Globoesporte.com e confirmada pelo Superesportes. O clube vai recorrer.

Sobis processou o Cruzeiro em setembro de 2019. Na petição inicial, requereu o pagamento de R$ 4.135.172,92. O valor se refere ao não cumprimento de acordo feito no momento da rescisão contratual, em janeiro do ano passado.

Eram R$ 3.296.515,55 por premiações, férias, cláusula compensatória desportiva e 13º salário de 2018 acrescidos de R$ 697.142,85 referentes a direitos de imagem de outubro, novembro e dezembro de 2018.

O primeiro valor deveria ser pago em dez prestações; o segundo, em quatro. Apenas a primeira parcela de cada débito foi quitado.

Segundo apurou a reportagem, o clube foi condenado a pagar o primeiro valor (aproximadamente R$ 3,2 milhões). Na sentença, o juiz trabalhista entendeu que não tinha competência para julgar o débito referente aos direitos de imagem (R$ 697.142,85) e transferiu o caso para o âmbito cível.

Por meio de nota (leia na íntegra ao fim da reportagem), o Cruzeiro se posicionou sobre o tema: "A verdade é que não houve uma condenação no valor citado. O que ocorreu foi a rejeição dos pedidos do atleta em relação aos seus direitos de imagem, julgados improcedentes, e a determinação de que os demais valores fossem objetos de liquidação de sentença. Ou seja, não se sabe ainda qual o valor exato da condenação. Os R$ 3,2 milhões são uma ficção jurídica, uma quantia estimada pelo juiz, apenas e tão somente para fins de cálculos das custas processuais e eventuais recursos, dos quais o Cruzeiro se utilizará".
 
 

Sobis defendeu o Cruzeiro entre 2016 e o fim de 2018. No período, fez 24 gols em 116 jogos. Conquistou duas vezes a Copa do Brasil (2017 e 2018) e uma vez o Campeonato Mineiro (2018).

Na Fifa

Este não foi o único imbróglio judicial sobre Sobis no qual o Cruzeiro esteve envolvido recentemente. Em julho, o clube se viu pressionado a pagar uma dívida de R$ 17,2 milhões ao Tigres, do México, pela aquisição do atacante, realizada em 2016.

O caso foi levado à Fifa pelos mexicanos. Depois da disputa na entidade máxima do futebol mundial, o Cruzeiro ficou ameaçado de ser proibido de registrar novos jogadores por conta do débito. Em julho, porém, os brasileiros conseguiram um acordo e evitaram a punição.

Leia a íntegra da nota do Cruzeiro

"A verdade é que não houve uma condenação no valor citado. O que ocorreu foi a rejeição dos pedidos do atleta em relação aos seus direitos de imagem, julgados improcedentes, e a determinação de que os demais valores fossem objetos de liquidação de sentença. Ou seja, não se sabe ainda qual o valor exato da condenação. Os R$ 3.2 milhões são uma ficção jurídica, uma quantia estimada pelo juiz, apenas e tão somente para fins de cálculos das custas processuais e eventuais recursos, dos quais o Cruzeiro se utilizará.

Como é de conhecimento público, o passivo do Cruzeiro é elevado, conforme externado inclusive nas Demonstrações Financeiras Intermediárias, disponível no Portal de Transparência. As eventuais condenações trabalhistas não são surpresas para o Clube, que possui planejamento e mapeamento de todos os casos."

 

 
Foto: Pedro Vilela/Lightpress
SITE ETERNAMENTE FUTEBOL no ar desde novembro de 2010