Barcelona: Koeman cita Guardiola e promete lutar para manter 'decepcionado' Messi no Camp Nou

Barcelona: Koeman cita Guardiola e promete lutar para manter 'decepcionado' Messi no Camp Nou
 
O novo técnico do Barcelona, Ronald Koeman, afirmou que espera convencer o "decepcionado" Lionel Messi a ficar no clube dando a certeza de que ele se sinta importante.
 
Fontes confirmaram à ESPN que o argentino interrompeu suas férias na Cerdanha (divisa entre Espanha e França), onde ele aproveita o descanso ao lado dos companheiros Luis Suárez e Jordi Alba, para retornar a Barcelona e conversar com o treinador.
 
No encontro, o capitão expressou dúvidas sobre continuar no Barça, conforme revelado inicialmente pela rádio catalã RAC1 na última quinta-feira e confirmado nesta sexta pela ESPN.
 
"É claro que ele está decepcionado, eu também estaria se tivesse perdido por 8 a 2. Seria preocupante caso ele não estivesse e ficasse andando por aí com um sorriso no rosto", afirmou Koeman em entrevista à rede pública holandesa NOS feita antes da reunião com o camisa 10.
 
"Messi é um ganhador nato. Todos os seus técnicos disseram isso. Eu sou próximo a Pep Guardiola, e nós ainda estamos em contato. Pep me falou que Messi quer ganhar. Ele quer ganhar tudo. Se ele não ganhar, pode ficar muito irritado".
 
"Eu tenho que garantir que ele será capaz de funcionar bem neste time. Eu tenho que garantir que ele se sinta importante. Ele é o capitão do nosso clube. Ele tem que terminar sua carreira aqui. Messi é Barcelona, e Barcelona é Messi", decretou o técnico.
 
Lionel Messi aumentou sua frustração com os eventos dentro e fora de campo nas últimas temporadas. Ele teve uma discussão pública com o agora ex-diretor esportivo Eric Abidal em fevereiro e criticou a diretoria por tentar pressionar os jogadores quando eles negociaram uma redução salarial por causa da pandemia de COVID-19.
 
Em campo, as quedas na Champions League para Roma e Liverpool foram seguidas pela primeira temporada sem troféus desde 2007/08, com a humilhante derrota para o Bayern de Munique sendo a "cereja do bolo".
 
No entanto, fontes no clube catalão confirmaram que qualquer parte interessada em Messi teria que pagar a cláusula de rescisão de 700 milhões de euros (R$ 4,6 bilhões) para tirá-lo nos próximos meses.
 
 

Moisés Llorens e Sam Marsden - ESPN 

© Getty Images Messi lamenta durante jogo entre Barcelona e Atlético de Madrid, por LaLigat
Em 21 de agosto de 2020 
11h44